Homilia de Dom Liro Vendelino Meurer na Ordenação do Pe. Leonardo Diekmann

Na última sexta-feira, 27 de novembro, o Diácono Leonardo Envall Diekmann foi ordenado presbítero na Paróquia Nossa Senhora dos Navegantes, em Porto Lucena/RS. A celebração foi presidida pelo Bispo de Santo Ângelo e concelebrada por diversos padres das paróquias de nossa Diocese. Confira a homilia de Dom Liro:


Saudação ao Pe. Jair, pároco desta paróquia, padres, vocacionados, pais, irmã e família do diácono Leonardo, paroquianos, religiosos, comunidades, Diácono Leonardo, , os que nos acompanham pela Rádio Navegantes e redes sociais, Irmãos e irmãs.

Lema: Alegres na Esperança

Reunimo-nos para participar da ordenação presbiteral do diácono Leonardo Envall Diekmann. Para ele e para nós é um grande dia, uma grande decisão, um dia de sim, de entrega total ao serviço da Igreja, à missão que lhe é confiada. Foi chamado, é consagrado e enviado. Assumir o ministério presbiteral é um ato de fé, de amor, dedicação, ser pastor de uma porção do povo de Deus. É uma espécie de esquecer-se a si mesmo e ser totalmente para os outros. Não é jogar a vida fora, mas ganhá-la. “Quem perder a sua vida por causa de Mim, encontrá-la-á”. O diácono Leonardo coloca-se a serviço de Deus, da Igreja e de todos. Não poderá fazer tudo, fará a sua parte. Vai trabalhar na messe do Senhor e vai fazer bem feito, trabalhar bem, inspirando-se em Santo Agostinho: Ame e faze o que quiseres. Que missão bela e grande. O Santo Cura D´Ars manifestou sempre uma elevadíssima consideração pelo dom recebido. Afirmava: "Oh! Como é grande o sacerdócio! Não o compreendemos bem, a não ser no céu. Se o compreendêssemos na terra, morreríamos, não de susto, mas de amor”. O Leonardo já se desfez de possíveis penduricalhos, já deixou tudo. Continuará no mundo. Porém o ser padre não dependerá do vento, do sol, da chuva, da lua etc. Não vai depender do local de trabalho, da paróquia ou missão que o bispo e a diocese lhe confiará. Ele está nos dizendo que está aqui para servir a Igreja no que precisar. Está à disposição. A base para fortalecer o seu ministério será sempre a oração, a Palavra de Deus, o convívio com os padres e fiéis, as celebrações e através do lema que se propõe: Alegres na Esperança. Isto todos os dias, não só no dia do retiro do clero. Ele não se baseará em aspectos negativos, falhas humanas ou tal padre fez isto ou mais erros. Sua vida será sustentada pelo Evangelho, pelo compromisso que tem com o povo de Deus. Terá seus momentos específicos de espiritualidade, de encontro com Deus, todos os dias. “Deverás cumprir no Cristo Mestre a tua função de ensinar: Transmite a todos a Palavra de Deus, que recebeste com alegria. Procura crer no que leres, ensinar o que creres, praticar o que ensinares”(Pontifical Romano). O tempo de refletir sobre assumir a missão presbiteral , a princípio passou, o discernimento foi realizado no tempo do Propedêutico, Filosofia e Teologia. A escolha pelo ministério presbiteral não é rejeição a outras formas de vida e de missão. As diversas possibilidades entre as quais optou foram cuidadosamente analisadas, medidas e consideradas. A escolha por uma significa renunciar a outras. A partir de agora é tempo de missão específica, especial. Já não é mais tempo de analisar o que fará na vida, pois já fez a sua escolha pelo ministério presbiteral. O foco de sua ação será este, isto é, o de viver como padre. A sua vida vai testemunhar o seguimento de Jesus Cristo através do Sacramento da Ordem e todos perceberão que está contente com esta vida de missão. Ele escolheu como lema “Alegres na Esperança”. O Apóstolo Paulo falou: "Alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração”. Estar contente com o que faz e considerará isto como significativo. Ter sempre consciência que escolheu livremente o que vale a pena. O Leonardo terá paixão pelo seu trabalho, dedicação total de pastor. Jesus passou pelo mundo fazendo o bem. Somos convidados a fazer assim. Deixar a nossa marca de bem. Fazer o bem onde cada um de nós está. O diácono atuou em diversas frentes pastorais no tempo de seminário. Nos últimos anos foi secretário estadual da pastoral carcerária. Assumiu junto com a Setembrina Machado a coordenação diocesana desta pastoral. Poderá continuar e contribuir muito na diocese e na paróquia de Santa Rosa, Sagrado Coração de Jesus, onde atuará inicialmente. Está presente na Pascom trabalhando junto com a equipe.

Em uma ordenação de vários padres, na homilia, o Papa Francisco disse: “Sejamos próximos de Deus na oração, próximos ao bispo, próximos no sacerdócio como irmãos, sem acotovelar-se um contra o outro; próximo ao povo de Deus, tendo sempre diante dos olhos o exemplo de Cristo, o bom pastor que não veio para ser servido mas para servir. A celebração da Eucaristia é o ápice da gratuidade do Senhor. Não a sujem com interesses mesquinhos”. O Papa alerta ainda: “Não se cansem de ser misericordiosos, tal como o Pai, tal como Jesus foi misericordioso com vocês. Gastem tempo visitando os doentes, tentem agradar a Deus e não a si mesmos. A alegria sacerdotal consistirá nisto, agradar ao Senhor”(Papa Francisco). “Incorporando os seres humanos ao povo de Deus pelo Batismo, perdoando os pecados em nome de Jesus Cristo e da Igreja pelo sacramento da penitência, confortando os doentes com a sagrada unção, lembra-te de que foste escolhido dentre os seres humanos e colocado a serviço deles nas coisas de Deus”(Pontifical Romano).

O Padre sempre deverá ser conhecido como pastor que vai ao encontro do povo e não como alguém que se dedica a prazeres humanos. Todos ouviremos falar bem, não no sentido de elogios, mas a dedicação. Quando uma comissão procurar o bispo é exatamente para isto: que o padre é esforçado, dedicado, trabalhador. Então fica melhor para ambos os lados. Isto não anula a necessidade de ajuda mútua. Então o Leonardo estará à disposição onde a diocese o precisa e o bispo o destina. Assim o novo padre, também os demais, estará à disposição onde a diocese e o bispo o destina.

Sobre a Liturgia da Palavra que acompanhamos, encontramos na carta aos Romanos: Temos dons diferentes, de acordo com a graça dada a cada um de nós. “Sede zelosos e diligentes, fervorosos de espírito, servindo sempre ao Senhor. Alegrai-vos com os que se alegram; chorai com os que choram. Mantende um bom relacionamento uns com os outros.

Conforme o Evangelho, cada um recebe talentos de acordo com suas capacidades: cinco, dois ou um. É necessário dar conta do que se recebeu. Um dia haverá a prestação de contas. Aos que renderam o dobro dos talentos ouvirão isto: Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria. Tomara que nunca será necessário ouvir isto: servo mau e preguiçoso. No Evangelho ainda ouvimos: "Todo aquele que tem será dado mais, e terá em abundância, mas daquele que não tem, até o que tem lhe será tirado”. Confiemos em Deus. Sua oferta é abundante.

Participando da missão de Cristo Pastor, procura, unido e submisso ao bispo, reunir os fiéis numa só família, a fim de conduzi-los a Deus Pai, por Cristo no Espírito Santo. Agradeço à família pela Leonardo, por terem aceito assumir o ministério sacerdotal. Agradeço a todos que o incentivaram, ajudaram e rezaram. Continuemos unidos fazendo a nossa parte.

Notícias em Destaque
Notícias Recentes

CÚRIA  DIOCESANA

Rua Marquês do Herval, 1113

CEP 98801-640

Caixa Postal 1090 - CEP 98801-610

Santo Ângelo - RS – Brasil

Tel.: 55 3313-5263; 55 3313-5308

Diocese logo original.png