Eucaristia: alimento que sustenta e inquieta! - Entrevista temática com a Ir. Teresa Thums


Mês de junho se aproxima. Marcado por inúmeras festividades religiosas, no mês de junho destaca-se a Solenidade de Corpus Christi, a festa do Corpo e do Sangue de Nosso Senhor. Já em clima eucarístico, resgatamos a Entrevista temática com a Ir. Teresa Thums – Carmelita Descalça pertencente ao Carmelo Imaculado Coração de Maria, Giruá/RS, publicada em junho de 2019 no ELO Diocesano. Confira:


Elo Diocesano: Neste mês de junho a Igreja celebra a solenidade de Corpus Christi, a festa do Corpo e do Sangue de Jesus. Como a Eucaristia pode nos lançar para a missão, sobretudo junto aos mais desfavorecidos?


Ir. Teresa: No Evangelho nos deparamos com as mais diversas circunstâncias onde Jesus, com sua sabedoria, nos faz perceber que quem mais precisa de ajuda são os pobres e desfavorecidos da sociedade. A Eucaristia, na vida de nós cristãos, é presença real de Jesus que nos fortalece em nossa vida e missão. Sabemos que a fé sem obras é morta. Portanto, se vivermos em profundidade a Eucaristia, além de nos lançar para a missão como gesto concreto, nos faz sentir e enxergar quem mais precisa de ajuda e alento. A exemplo de Jesus vamos em busca daquelas almas mais sedentas de Deus, daqueles que ainda hoje vivem à margem da sociedade e necessitam de um Bom Pastor que mostre o caminho e, se preciso for, o carregue em seus braços. A Eucaristia continua sendo e sempre será Dom e Serviço.


Elo Diocesano: Jesus na última ceia deixa o sacramento da Eucaristia como memorial da sua paixão pela humanidade. A Srª acha que os discípulos de hoje compreendem a profundidade deste gesto de Jesus?


Ir. Teresa: Penso que sempre houve e há um grande esforço em compreender e viver este gesto de Jesus. Mas é preciso avançar sempre mais. Para os dirigentes da Igreja, o Papa Francisco sinaliza uma importante meta, ou seja, uma Igreja em saída. Isso é, sem dúvida, um grande avanço na compreensão de como viver e concretizar a Eucaristia hoje. E para o discipulado como povo de Deus que é a grande maioria, apesar do cultivo e esforço em viver este ensinamento de Jesus, é preciso um cultivo ainda mais consciente e profundo deste “Viver em Cristo e Cristo em mim” que é transformação da própria vida e da vida dos que nos cercam. Porque à medida que nos propomos a viver de fato o gesto e ensinamento de Jesus, as comunidades começam a sentir o quanto é bom viverem juntos e unidos como irmãos, buscando o mesmo ideal: Jesus Cristo.


Elo Diocesano: Que atitudes podemos tomar para estabelecer maior comunhão em nossas comunidades?


Ir. Teresa: A exemplo de Jesus que se fez servo de todos e nos deixou o testamento do amor: “Amai-vos uns aos outros assim como Eu vos amei”, para nós cristãos é um grande desafio estabelecer maior comunhão em nossas comunidades. Precisamos nos revestir de muita humildade, simplicidade, ternura e sabedoria e nos capacitar ainda mais para o diálogo fraterno. Isto faz com que as pessoas se acheguem uns dos outros, sem temor para expressar e partilhar o que pode e deve melhorar nas relações fraternas e conflitos que possam haver. Porque o fruto da Eucaristia deve nos levar a isto: fortalecer em nós a vivência da união fraterna, eliminar tudo o que perturba a paz, cultivar a caridade e a prática do perdão sempre que necessário. Sem esta “leveza” será difícil manter uma comunidade onde todos possam se amar como irmãos em busca de um mesmo ideal que é a união com Jesus que é a grande meta que todo o cristão almeja alcançar.


Elo Diocesano: A solenidade de Corpus Christi é uma festa muito antiga na vida litúrgica da Igreja. Que mensagem a Srª deixaria a nossos leitores, para que os mesmos possam viver intensamente esta festividade da Igreja?


Ir. Teresa: Estimados Leitores, acredito que a Solenidade de Corpus Christi é uma data muito querida para os nossos corações. A presença viva de Jesus na Eucaristia foi o maior presente que Jesus deixou para cada um de nós. Ele não nos deixou órfãos! Jesus, depois de morto e Ressuscitado, permaneceu vivo e atuante entre nós. Por isso, devemos celebrar esta Solenidade com muita alegria e gratidão. Não estamos sozinhos, Ele está no meio de nós. A Solenidade de Corpus Christi é celebrada uma vez por ano na Igreja. Mas podemos dizer que em cada celebração da Santa Missa é celebrada esta grande Solenidade. A Eucaristia é a presença viva de Cristo entre nós. Temos a consciência de que quando comungamos recebemos este Jesus vivo nos nossos corações? Santa Teresa dizia que o momento mais oportuno para conversar com Jesus é na hora em que o recebemos em nosso coração. Jesus está vivo em nosso coração, esperando que confiemos a Ele as nossas necessidades. Que esta mensagem nos anime a nunca desanimar. Jesus está vivo e atuante no meio de nós. Ele cuida, nos aguarda e espera a todo momento. Que possamos viver com intensidade o grande mistério da Eucaristia.


Entrevista publicada no Elo Diocesano, edição de junho de 2019.

Notícias em Destaque