Durante 11 anos e meio, ou seja, de janeiro/2001 a junho/2012, a comunidade paroquial Ascensão do Senhor contou com a companhia do irmão, colega, amigo, animador pastoral do povo de Deus, padre a serviço da vida das pessoas, cidadão, Pe. Eugênio João Hartmann. Com seu jeito todo seu de ser, com seu modo simples de estar presente, com seu riso fácil, foi chegando, se aproximando, iniciando a fazer parte dessa família de fé.

Oriundo de sua família de parentesco, povo da roça, grupo familiar numeroso, soube fazer-se irmão para as pessoas com as quais passou a conviver. Aqui também, como nos demais lugares e espaços por onde passou e viveu, foi criando, ampliando e fortalecendo uma nova família, a família de afeto. Seguia aprendendo nesta escola da amizade, granjeando estima e partilhando um bem-querer gratificante. Além disso, tornou-se um da família de fé dessa porção do povo de Deus, a comunidade paroquial Ascensão do Senhor.

Um acontecimento inesperado, um acidente automobilístico, um fato trágico pôs término, tão repentinamente, à trajetória de Pe. Eugênio, peregrino neste mundo. Partiu para a morada eterna, na Casa do Pai. Tal tragédia, ocorrida no dia 14 de fevereiro, domingo, ao iniciar a noite, no caminho, na estrada, encerrou sua caminhada nas estradas da vida passageira. Findou este ciclo de 66 anos de vida (nasceu a 20 de dezembro de 1954!).

Por certo, faz sentido e tem razão de ser um justo reconhecimento, uma singela manifestação em sua memória da parte da Paróquia de Santo Cristo. Afinal, cerca de um terço do tempo de vivência de seu ministério presbiteral, Pe. Eugênio o exerceu nesta Paróquia. Para conferir: Pe. Eugênio foi ordenado padre no dia 12 de janeiro de 1985; portanto, 36 anos e um mês ao falecer. Desse tempo de padre, atuou como pároco nesta paróquia pelo período de quase 12 anos. Ou seja, cerca de uma terça parte destes 36 anos de padre.

Nesta sua jornada na paróquia buscou caminhar junto com o povo de Deus. Aproximou-se das pessoas em todas as suas situações vividas, nas dores e alegrias; criou, organizou, motivou e realizou atividades pastorais e de animação da vida das comunidades; incentivou o despertar e a formação de novas lideranças para as diversas dimensões comunitárias; desafiou o povo de Deus a “pôr-se a caminho”, com as sugestões de criativas práticas de fé e devoção popular; fortaleceu a caminhada evangelizadora com jeitos inovadores de envolver o povo nessa missão; marcou presença nas iniciativas das sociedades recreativas, das organizações sociais e populares; exerceu sua cidadania ao motivar as pessoas para causas de promoção da dignidade de vida de todos os filhos e filhas de Deus e da defesa da natureza saudável.

Sua partida, tão repentina, deixa lacunas na família de fé: há um “remador” a menos nesta frágil, mas preciosa, barca no mar da vida; cabe, a quem segue a remar, a tarefa de um esforço adicional para manter esta barca no rumo sereno, na direção do horizonte da paz sem limites. Ao mesmo tempo, sua passagem peregrina no mundo brinda a família de fé com um testemunho de coração amoroso que há de permanecer vivo, bem gravado na memória do coração das pessoas que ele aprendeu a amar.

Pe. Eugênio, viva a graça da paz plena e eterna no aconchego do Pai!

Pe. Carlos José Griebeler

Pároco de Santo Cristo

Notícias em Destaque
Notícias Recentes