Diocese de despede do Pe. Eugênio Hartmann

Nesta segunda-feira, o dia amanheceu com uma triste notícia em nossa Diocese. Chegava a todos a informação que o Pe. Eugênio João Hartmann, então pároco de Alecrim, havia falecido em um acidente de carro, em Lajeado Bugre, no interior, entre os municípios de Porto Vera Cruz e Alecrim.

Pe. Eugênio passou o domingo, dia 14, com um grupo de lideranças da Pastoral da Juventude na Casa Shalom, no interior de Porto Vera Cruz, às margens do Rio Uruguai. Ao cair da noite, no caminho retornando a Alecrim, o carro no qual Pe. Eugênio estava acabou capotando na Ponte de Lajeado Bugre, levando Pe. Eugênio a óbito.

A segunda-feira, dia 15, foi marcada por milhares de homenagens, orações e testemunhos recordando o legado deixado por Pe. Eugênio. Em Alecrim, na Igreja Matriz, a celebração de corpo presente aconteceu às 14h, presidida pelo padre forâneo, Pe. Carlos Griebeler, e concelebrada por diversos padres amigos. A cerimônia foi transmitida ao vivo pelas redes sociais, sendo acompanhada por quase 2500 pessoas.

Ao fim da tarde, o corpo foi transladado para Linha Acre, em Cândido Godói, comunidade natal de Pe. Eugênio, onde aconteceu a Santa Missa de corpo presente, com a participação da família, de colegas padres e da comunidade em geral. A celebração também foi transmitida ao vivo pelas redes sociais e pela rádio local.

Pe. Eugênio tinha 66 anos de idade e mais de 35 anos de ministério ordenado. Sempre esteve envolvido nas pastorais sociais da Igreja, na liderança das CEBs, tendo um olhar e um carinho especial para a Pastoral da Juventude. A Diocese de Santo Ângelo sente a partida de Pe. Eugênio mas rende graças a Deus pelos anos de vida que pode contar com ele na missão evangelizadora do povo de Deus que ele tanto amou.


Breve histórico de vida do Pe. Eugênio:


Pe. Eugênio João Hartmann nasceu no dia 20 de dezembro de 1954 em Linha Atolosa – Cerro Largo, onde foi batizado. Sua infância e adolescência viveu na Linha Acre – Cândido Godói, onde continua se sentindo em casa.

É filho de Beno Hartmann (in memóriam) e Berta Welter Hartmann. Tem 12 irmãos: Hélio, Ir. Celita, Ênio (in memóriam), Erno, Harry (in memóriam), Hari, Norma, Roque, Anita, Julci, Jacir e Marisa.

Fez o Ginásio em Cândido Godói, e o Científico no Colégio Medianeira, morando no Seminário São José de Cerro Largo.

Enquanto estava no Seminário Pe. Adolfo Gallas, fez o Curso Propedêutico, a Filosofia e Letras (Dom Bosco – UNIJUÍ).

No Seminário de Viamão fez o Curso de Teologia e trabalhou dois anos como assistente dos seminaristas no Seminário de Cerro Largo.

No último ano de Teologia estagiou na Igreja Irmã de Marabá (PA), com a qual mantém contato e visitas até hoje.

Foi ordenado padre no dia 12 de janeiro de 1985 na comunidade de Linha Acre – Cândido Godói. Seu lema de ordenação: “Eu te louvo, Pai, Senhor do Céu e da Terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste aos pequeninos.” (Lc 10,21).

Nos 36 anos de Padre ajudou a servir em 6 Paróquias:

1985: Vigário Paroquial em Alecrim

1986 – 1989: Vigário Paroquial em São Luiz Gonzaga

1990 – 1994: Pároco de Catuípe e Chiapeta

1995 – 2000: Pároco de São Luiz Gonzaga

2001 – 2012: Pároco de Santo Cristo

2013 - 2021 - Pároco de Alecrim


Faleceu em um trágico acidente de carro no dia 14 de fevereiro de 2021.

Deixará uma grande lacuna em nossa Igreja.

Descanse em paz!

Notícias em Destaque