Irmãs de Santa Catarina

Carisma:

 

A Bem-aventurada Madre Regina nos deixou como carisma: A Vida Contemplativa e Ativa EM PROFUNDA COMUNHÃO COM DEUS, SEU SENHOR, EM ALIANÇA ESPONSAL COM JESUS CRISTO, SEU AMANTISSIMO ESPOSO, vivido na oração e no serviço às necessidades da Igreja e do seu povo, nas áreas da saúde, da educação cristã e de outras formas de serviço social e ação pastoral.

 

Vocações e Formação:

 

Senhor, o que queres que eu faça de minha vida?

Eis a mais profunda pergunta, que trazemos calada no mais íntimo da alma! Nem sempre é fácil responder ao chamado de Deus, em nossa vida. Mas, Ele nos chama para sermos felizes. A felicidade só é possível no amor. Na vida, todos somos chamados a desempenhar uma missão, a construir um mundo cada vez melhor para todos! Nossa resposta se dá quando optamos livremente por um estilo de vida comprometido com o projeto de Deus, revelado em Jesus Cristo. E... há aqueles e aquelas que respondem com coragem, generosidade e fidelidade ao apelo de Deus. Nossa Congregação existe porque, um dia, uma jovem cheia de coragem e amor, colocou-se à disposição do querer de Deus! E ainda hoje, depois de 4 séculos, há jovens que sonham aquele mesmo sonho e por isso tudo deixam para, também se colocarem à disposição do querer de Deus... Ser Irmã de Santa Catarina,V.M. é um dos muitos jeitos de responder ao chamado de Deus para uma vida de total dedicação à construção de seu Reino. É um dos muitos jeitos de viver a alegria de entregar toda a vida a Deus para servir aos irmãos e irmãs que clamam por mais vida!

 

Etapas de formação 

O objetivo geral da Formação na Congregação das Irmãs de Santa Catarina, VM., é orientar o processo de formação integral da pessoa chamada à vida de total consagração ao Senhor: - na adesão à vontade de Deus; - no seguimento de Jesus Cristo e no Carisma Congregacional; - na comunidade fraterna; - no serviço aos irmãos. A vida é um dom que gratuitamente recebemos de Deus. Ele criou-nos a sua imagem e semelhança, dotou-nos de dons diversos, convocando-nos à responsabilidade de desenvolvê-los. A Irmã de Santa Catarina, durante toda a sua vida, está convidada a empenhar-se para crescer na relação consigo, com o mundo, com os outros e com Deus. Desta forma, descobre sua própria identidade, assume ser sujeito de sua própria formação. Na liberdade e na fé, buscará progressivamente ultrapassar-se para assumir o Plano de Deus a respeito de si mesma e do mundo como mulher consagrada.

Se você quer conhecer mais sobre a nossa vida ou sobre as etapas da formação, entre em contato conosco:

Contato:

Ir. Adriana Pinheiro

E-mail: iradriana@hotmail.com

Facebook: SAV Irmãs de Santa Catarina

Instagram: _comodeusquer SAV Irmãs de Santa Catarina

WhatsApp: (51) 96112671

Presença das irmãs em nossa Diocese:

 

Campina das Missões

 

Antes que a cidade de Santo Ângelo foi erguida como Diocese, ainda pertencente à Diocese de Uruguaiana, a Congregação das Irmãs de Santa Catarina já estava atuando na longínqua região de Campina das Missões desde 1948 – Paróquia Nossa Senhora do Bom Conselho. Pequena vila, na época com 40 famílias e nos arredores, chamadas Linhas moravam outras tantas famílias. Contando o total de mil famílias praticantes.

 

No dia 30 de dezembro de 1946, o Pároco Padre Luís Rauber escreveu à Madre Provincial Maria Margarida Krause, perguntando da possibilidade de receber Irmãs de Santa Catarina para esta Paróquia. Toda a região era área colonial, o Padre se sentia sozinho no campo enorme da Paróquia e em sua carta dizia: As Irmãs irão encontrar grandes tarefas apostólicas a realizar, como: Assumir a escola paroquial; a limpeza das alfaias e da igreja, abrindo, fechando e ornamentando-a; confecção das hóstias; tocar o sino, o harmônio e dirigir o canto; cantar as Missas de Requiem e ensinar aos alunos o respeito e veneração ao recinto sagrado. Também vinha surgindo um amplo campo de vocações e exigia o seu cultivo.

 

Em fevereiro de 1947,Madre Margarida e Irmã Maria Winefrida Berwanger viajaram à Campina das Missões para conhecer a realidade. Ambas consideraram o novo campo como uma seara favorável ao Senhor. Aconteceu que neste período na Província várias Irmãs adoeceram gravemente, precisando deixar os seus trabalhos por longo tempo. A situação da Província agravou-se e foi preciso desistir de enviar as Irmãs para a Paróquia de Campina. A comunicação, da não possibilidade de as Irmãs assumirem correu qual um raio por todas as direções.     O povo não conseguiu aceitar esta decisão e representado pelo senhor Eugênio Brod, residente em Santo Cristo e pai de duas Irmãs de Santa Catarina, pediram com grande súplica de que a Província não podia deixar de atender e a oração seria a arma da luta para vencer.

 

No dia 12 de fevereiro de 1948, partiram de Novo Hamburgo, Irmã Maria Mechtildes Stoffel e Irmã Maria Dionísia Pletsch para assumir a educação escolar e Irmã Maria Generosa Karduckewitz como coordenadora das Irmãs, organista e regente do canto. As Irmãs percorreram as longuíssimas estradas de chão vermelho, mas foram carinhosamente acolhidas, o Pároco estava muito feliz, a Multidão de crianças pululavam em torno das Irmãs. Encontraram um povo extremamente pobre e bom. Como testemunho da vida Cristã, está aí à importante Igreja Matriz. Dia 12 de fevereiro de 1948, dia da saída de Novo Hamburgo, é a data oficial da fundação da Comunidade

 

A escola Paroquial que desde o início foi denominada “Escola Nossa Senhora do Bom Conselho” crescia em número de alunos e também em reconhecimento pelo bom trabalho das Irmãs. Em diversas épocas foram aumentadas as salas. Posteriormente foi necessária a construção da nova escola inaugurada no dia 05 de maio de 1959. Igualmente o primeiro Bispo de Santo Ângelo Dom Aloísio Lorscheider, ordenado em Porto Alegre no dia 20 de maio de 1962, após sua visita à Campina das Missões, confiou às Irmãs os meninos menores do Seminário. Recebeu o nome de: Pré-Seminário João XXIII.A área escolar e Pré-Seminário João XXIII foram-se expandindo com grande reconhecimento, pelo trabalho e dedicação das Irmãs junto com os Padres da Paróquia. Chegou à época de muitas mudanças sociais, eclesiais, educacionais... Igualmente a diminuição das vocações e em fevereiro de 1985 o Pré-Seminário João XXIII foi desintegrado da Escola Nossa Senhora do Bom Conselho, após 21 anos de Formação dos jovens Seminaristas, Isto em decorrência das rápidas mudanças que se sucederam.

 

A Escola Nossa Senhora do Bom Conselho, igualmente após 54 anos de serviço zeloso á comunidade de Campina das Missões, frente ás grandes dificuldades econômicas que foram surgindo passou a Escola para o Município por meio de um Contrato de Locação. Dessa forma o prédio está bem aproveitado e o Município obteve mais espaço para a escola. As Irmãs não deixaram a Paróquia Nossa Senhora do Bom Conselho, continuam em uma casa próxima da escola prestando o serviço de Pastoral da Saúde na Paróquia, visita as famílias, Ministras da Eucaristia e colaborando nos grupos dos dependentes Químicos.

 

Hospital Nossa Senhora do Rosário em Pirapó

 

A Congregação assumiu também o pequeno Hospital em Pirapó, pequena Vila bem no interior da região Missioneira. Respondendo ao pedido do Pároco Padre Fridolino Binsfeld para socorrer o povo pobre e a precariedade extrema do pequeno Hospital ali existente, a então Madre Provincial Maria Irene Czermak no dia 06 de fevereiro de 1961, juntamente com três Irmãs: Irmã M. Sinclésia Sausen, Irmã M. Lioba Baptista de Jesus e ainda veio de Campina Irmã M. Virgília Persch. Logo mais foi enviada uma quarta Irmã de Novo Hamburgo para trabalhar na Farmácia.Logo após terem sido acolhidas, chegou também um médico recém formado de Porto Alegre, para assumir a missão de clínico da casa. As Irmãs chegaram ao Hospital no dia 08 de fevereiro de 1961. É a data da fundação. Na época ainda pertencente à Diocese de Uruguaiana.

 

As Irmãs chegaram a Pirapó ainda durante a gestão do senhor Bispo de Uruguaiana, Dom Luiz Felipe de Nadal que muito se alegrou com a vinda delas para este hospital. Ao desmembrar-se de Uruguaiana, sendo esta região das missões integrada à nova Diocese de Santo Ângelo, seu primeiro Bispo Diocesano Dom Aloísio Lorscheider admirou a coragem das Irmãs.

 

No entanto a permanência das Irmãs foi de pouco tempo, o clinico que viera de Porto Alegre foi, devido à necessidade de seus pais, pedido a voltar junto deles. Não havendo possibilidade de outro clínico, o Hospital ficou fechado, restava para asquatro Irmãs, que haviam aprendido a amar tanto este povo, amigo e achegado, – deixar Pirapó. O serviço que esta comunidade de Irmãs, prestou nesta fundação, durou apenas um pouco mais de dois anos.As Irmãs deixaram o Hospital Nossa Senhora do Rosário de Pirapó, em inícios de abril de 1963. Sua única consolação foi que o amor nunca se arrepende do bem que se realiza por Cristo em favor dos outros.

 

O Hospital em Campina das Missões

 

Em 1920 um pequeno grupo de pessoas, a título de Sociedade Beneficente adquiriu um prédio Particular para iniciar suas atividades, em favor da saúde da população. O insignificante patrimônio passou sucessivamente para várias famílias, sendo mantido por um médico até 1967,quando ficou completamente abandonado. As famílias se viram obrigadas a locomoverem seus doentes a outros hospitais distantes.

 

Vendo a calamitosa situação da saúde dos Paroquianos a Associação de Assistência e Cultura Padre Benedito Meister conseguiu adquirir um Hospital. O Padre Marcos Riffel, Pároco desta Paróquia acompanhado pela diretoria da Associação e o Prefeito Municipal Wendelino Ludwig, aproveitaram a passagem da Madre Provincial Irmã Generosa Wittmann fazendo oficialmente o pedido de Irmãs para a casa de saúde. Aceito o contrato foram designadas as Irmãs Maria Wilibalda Kuhn e Maria Inácia Biensfeld como pioneiras do trabalho hospitalar em Campina das Missões. A notícia foi recebida com muita alegria. O dia oficial da fundação desta comunidade religiosa é 24 de fevereiro de 1971, data em que as duas Irmãs chegaram a Campina.Quando o médico se fixou em Campina, foi possível a organização do Hospital para o atendimento e prosseguir dessa forma a caminhada do Hospital. Mais um e outro médico vieram prestar serviço. Aos poucos houve possibilidades de melhoramento e aumento do Hospital. Em 1975 já se encontravam três Irmãs no Hospital.

 

Com o passar dos anos muita mudança aconteceu e o Hospital adquiriu aparelhos e material hospitalar. (Veio também a ajuda em várias datas, da Congregação por parte da Superiora Geral Irmã Leonis Sobisch). Tornou-se um hospital bastante grande e foi possível um bom atendimento. Em face da grande evolução do hospital, em 1988 as Irmãs do Hospital passaram a residir com as Irmãs da escola e continuaram prestando serviço no Hospital. Estas tendo formado sua comunidade por 19 anos no hospital, de 1971 a 1990. A partir de 1990 as Irmãs também assumiram, por solicitação da autoridade municipal em concordância com a direção do hospital e do Governo da Província, a coordenação do Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS).

 

No ano 2000 as Irmãs foram convidadas, pelas autoridades do hospital, para colaborar na formação continuada dos grupos a serviço da saúde no Hospital e também os Agentes Comunitários. Uma Equipe foi formada com médico, Enfermeira, Psicólogo, a Coordenadora dos serviços Gerais e várias Irmãs. Esta Formação continuada teve grande êxito na melhoria dos Serviços do Hospital e dos Agentes Comunitários. Formou-se também, nesta época, o Centro Fitoterápico na Pastoral da Saúde com a ajuda de um grupo de voluntárias que continua até hoje e sendo muito procurada..A Diretoria do Hospital e as autoridades municipais expressaram os mais sinceros agradecimentos a toda Congregação e às Irmãs que desenvolveram o trabalho. Neste espírito fraterno, a exemplo da Beata Regina Protmann, as Irmãs deram o seu último reforço, e os serviços passaram aos cuidados da supervisão Geral de uma enfermeira leiga. 

 

A partir de 07 de agosto de 2002 até os dias de hoje, continuam Irmãs a serviço do Hospital colaborando no atendimento da Pastoral da Saúde e dos dependentes Químicos. Que Maria a Mãe Imaculada proteja a saúde deste povo que a escolheu como padroeira de seu hospital.

CÚRIA  DIOCESANA

Rua Marquês do Herval, 1113

CEP 98801-640

Caixa Postal 1090 - CEP 98801-610

Santo Ângelo - RS – Brasil

Tel.: 55 3313-5263; 55 3313-5308

Diocese logo original.png